28 de out de 2009

PROGRAMA OLGA BONGIOVANNI - BULLYING

Eu e a apresentadora Olga Bongiovanni em uma entrevista sobre Bullying Escolar

AS INTERFERÊNCIAS DO BULLYING NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO ALUNO
(AUTORA:Lilian Lunkes Fernandes)
"Bullying é um termo utilizado para denominar comportamentos agressivos, anti-sociais, ofensivos e pejorativos, no que se refere aos estudos de violência escolar, em outros países recebe outras denominações, este termo é utilizado para descrever um conjunto de atitudes agressivas, físicas ou orais, intencionais e repetitivas, que causam intimidação na vitima dentro do ambiente escolar.
Esta violência pode gerar na criança diversas conseqüências que podem ser: físicas, psicossociais e psicológicas como: traumas, mudança de comportamento, timidez, baixa estima, depressão e principalmente, interferir na aprendizagem do aluno.

Através dos meios de comunicações podemos observar em todo o Mundo, diversos casos de Bullying, onde as crianças que sofriam constante pressão chegaram ao ponto de cometer suicídio, ou, como defesa, os alunos invadiram a escola em que estudavam e realizaram grandes massacres para se vingar dos agressores. Muitas vezes massacres seguidos de suicídio.
Iremos entender neste estudo, um pouco sobre como o meio onde vivemos e as relações humanas podem alterar nosso comportamento, tendo como base os estudos realizados por Henri Wallon (1992).
Este é um tema pouco discutido nas instituições escolares e em família. Vê-se a necessidade de conscientizar e sensibilizar todos os envolvidos no processo de aprendizagem e educação do aluno, para lidarem com este problema que acontece freqüentemente no ambiente escolar e familiar e que é visto como algo natural sem conseqüência para a vida da vitima."(LILIAN LUNKES FERNANDES).
" ESTE TEXTO FAZ PARTE DA INTRODUÇÃO DE UM ARTIGO DE MINHA AUTORIA. PODENDO SER UTILIZADO COMO FONTE DE PESQUISA, INFORMAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO, MAIS NÃO PLAGIADO."
(Fonte de pesquisa: PCN's,LDB,ECA,Fenomêno Bullying-Cleo Fante,outros)
VEJA TAMBÉM MINHA COMUNIDADE NO ORKUT;
"BULLYNG;O OUTRO LADO DA ESCOLA"

22 de set de 2009

convite de casamento personalizado - kirigami











kirigami


19 de set de 2009

convite para noivado


Renda em papel vegetal




6 de set de 2009

a história do kirigami

:: Kirigami Depois de imaginar por um longo tempo um cartão de felicitação para enviar aos amigos, o engenheiro Masahiro Chatani teve a idéia de criar algo tridimensional, como se juntasse duas folhas de papel recortados. Masahiro Chatani já era reconhecido nessa época, afinal, formado em arquitetura aos 22 anos na conceituada Faculdade Industrial da Universidade de Tokyo, em 1980, com 46 anos de idade, havia se tornado doutor na mesma Universidade e já era autor de livros sobre edificações.Esses cartões, que eram recortados de maneira a poderem ser dobrados, fizeram muito sucesso entre os seus amigos e finalmente tomou a forma de livro em 1984. Conforme explica o autor, o cartão branco dobrado que se abre em forma de pop-up sobre um fundo branco ou colorido, forma sombra e tem tridimensionalidade, criando um mundo fantástico.A técnica foi batizada de Origamic Architecture. Com uma precisão milimétrica, bastante habilidade e muita criatividade, Chatani desenvolveu seus cartões, que puderam ser vistos expostos em vistosas vitrines em shoppings e aeroportos do país, em 1984 e 1985. Esses cartões eram gigantes e eram feitas sob encomenda. Logo, a técnica ultrapassou as fronteiras e ficou conhecida no mundo inteiro. No Brasil, o nome Origami Arquitetura foi registrada por uma empresa que produz esses cartões comercialmente.Apesar disso, a técnica no Brasil é conhecida como Kirigami, contrariando o nome utilizado em todos os outros países. A razão? Em 1993, Naomi Uezu, que já havia dominado a técnica dos cartões tridimensionais, seria a primeira pessoa a ministrar uma aula sobre esse assunto no Brasil. Reunida com os diretores da Abrademi, que planejavam incluir esse curso no calendário da entidade, chegou-se a conclusão de que “origamic architecture” era muito difícil de ser pronunciado. Assim, a aula foi divulgada como: “CURSO DE KIRIGAMI – ORIGAMIC ARCHITECTURE, a arte de fazer cartões tridimensionais, aqueles que “saltam” figuras quando se abre”, conforme propaganda da época. A idéia era fazer associação com o Origami, muito mais difundido no Brasil.A aula foi um sucesso em 26 de setembro de 1993, e outras aulas foram ministradas, ficando apenas o nome Kirigami. A Naomi Uezu tem hoje um estúdio de produção dos cartões Kirigami, e ministra cursos na Aliança Cultural Brasil Japão. O site dela chama-se, não por acasowww.kirigami.com.br/index.htm.Masahiro Chatani publicou vários livros sobre o assunto, sempre pela editora Ondori, de Tokyo. Em livrarias japonesas do Brasil, entretanto, vendedores desinformados podem afirmar que não existem livros sobre “kirigami”. Mas existem. É necessário procurar por “origamic architecture”, que é o termo que aparece nas capas desses livros.Conheça o livro: Brincando com Origami Arquitetônico de Ariomar F. Silva e Leoncio de O. Carvalho.AO USAR INFORMAÇÕES DESTE SITE, NÃO DEIXE DE MENCIONAR A FONTE www.culturajaponesa.com.br LEMBRE-SE: AS INFORMAÇÕES SÃO GRATUÍTAS, MAS ISTO NÃO LHE DÁ DIREITO DE SE APROPRIAR DELAS.

cartão de papel vegetal


cartão artesanal, feito com a técnica de papel vegetal, cetim e molde vazado.

1 de set de 2009

cartão de kirigami


cartão feito com a técnica de kirigami

26 de ago de 2009

convite de casamento


cartão de noivado


kirigami cards


23 de ago de 2009

kirigami


20 de ago de 2009

cartão de papel vegetal e quilling


cartão de papel vegetal


19 de ago de 2009

trabalho com cerâmica

trabalho em cerâmica com Laura Lunkes


trabalho com cerâmica


18 de ago de 2009

cartão de papel vegetal


cartão de kirigami


cartão feminino


artesanato com folha de cortiça


17 de ago de 2009

lembrança de igreja

16 de ago de 2009

borboletas- butterfly

marcador de página

12 de ago de 2009

a história do quilling

A filigrana em papel, conhecido também como quilling, é uma arte que como muitas outras, teve seus momentos de altos e baixos.

As provas mais concretas da sua origem são Trabalhos de excelente qualidade que foram executados por religiosas francesas e italianas nos séculos 16 e 17. As religiosas decoravam relicários e gravuras sagradas, acrescentando toques dourados e muita ornamentação.

Clique aqui e visite a galeria de com relicários feitos nos séculos 17 e 18. Essas peças fazem parte da coleção de objetos de fé, preservados pela Associação francesa " Trésors de Ferveur ". Observe os quadros e veja que o trabalho feito em quilling parece realmente ouro e prata.
A ligação religiosa com o quilling foi mantida quando a arte foi difundida na Inglaterra com o desenvolvimento do papel. As Igrejas mais pobres produziam relicários, aos quais eram acrescentados gravuras dos santos referentes à relíquia na obra, totalmente enfeitados com quilling.

No passado esse trabalho era feito como lazer com a intenção de fazer objetos decorativos tais como: páinéis e brasões. Mais tarde o trabalho era feito em latas de chá, caixas de madeira, biombos, armários, molduras, etc. Belíssimas caixas foram feitas nessa época apenas para receber os trabalhos em quilling. O quilling era divulgado e era um quesito a mais para internatos femininos que anunciavam:

" .... ele proporciona uma agradável diversão estimulando a criatividade da mente feminina e, ao mesmo tempo, proporciona o lazer de uma hora em inocente recreação ... " (The New Lady's Magazine - 1786)

Em 1875 foi feita uma tentativa de revitalizar o quilling por Wm. Bemrose. Um kit chamado 'Mosaicon' foi produzido, juntamente com um manual. Outra referência foi descoberta em um livro intitulado "Floral Mosaicon". No artigo são mencionadas peças de quilling adquiridas pelas Rainhas Mary e Alexandra..

Muitos museus na Inglaterra e Estados Unidos mantem expostos trabalhos de quilling feitos nos séculos passados. Na França a Associação " Trésors de Ferveur " mantem expostos trabalhos de quilling feitos nos séculos passados e tem anualmente uma exposição itinerante de várias peças.

Uma das mais recentes observações por uma quiller, quando visitando a Capela Sistina, no Vaticano, são alguns painéis da Capela totalmente feitos com quilling. Indagando o responsável, foi informada que eram realmente trabalhos em quilling e que normalmente as pessoas passavam por alí e não observavam a sua beleza.
Artistas da filigrana em papel expõem e tem seus trabalhos em galerias de arte nos Estados Unidos, Inglaterra, Coreia e Russia.
Por: www.regina.ribeiro.com.br

9 de ago de 2009

cartão de papel vegetal coração


menina camponesa


cartão namorados




navio


8 de ago de 2009

capela


cartão infantil botinhas


corações com renda


cartão menino na lua


passarinhos


cartão de papel vegetal


18 de jul de 2009

artesanato em cartões


17 de jul de 2009

aplicação de quilling,trabalhos manuais


coração solitário-lonely heart


modelo de cartão de coração


cartões de quilling


arranjo de flores


modelo de cartão


cartão para o dia das mães



करतो अर्तेसनल


cartã entrelaçado


cartão sobreposto


exposição de arte em papel


Clique e assine

 
©2008 Templates e Acessorios Por Elke di Barros