12 de ago de 2009

a história do quilling

A filigrana em papel, conhecido também como quilling, é uma arte que como muitas outras, teve seus momentos de altos e baixos.

As provas mais concretas da sua origem são Trabalhos de excelente qualidade que foram executados por religiosas francesas e italianas nos séculos 16 e 17. As religiosas decoravam relicários e gravuras sagradas, acrescentando toques dourados e muita ornamentação.

Clique aqui e visite a galeria de com relicários feitos nos séculos 17 e 18. Essas peças fazem parte da coleção de objetos de fé, preservados pela Associação francesa " Trésors de Ferveur ". Observe os quadros e veja que o trabalho feito em quilling parece realmente ouro e prata.
A ligação religiosa com o quilling foi mantida quando a arte foi difundida na Inglaterra com o desenvolvimento do papel. As Igrejas mais pobres produziam relicários, aos quais eram acrescentados gravuras dos santos referentes à relíquia na obra, totalmente enfeitados com quilling.

No passado esse trabalho era feito como lazer com a intenção de fazer objetos decorativos tais como: páinéis e brasões. Mais tarde o trabalho era feito em latas de chá, caixas de madeira, biombos, armários, molduras, etc. Belíssimas caixas foram feitas nessa época apenas para receber os trabalhos em quilling. O quilling era divulgado e era um quesito a mais para internatos femininos que anunciavam:

" .... ele proporciona uma agradável diversão estimulando a criatividade da mente feminina e, ao mesmo tempo, proporciona o lazer de uma hora em inocente recreação ... " (The New Lady's Magazine - 1786)

Em 1875 foi feita uma tentativa de revitalizar o quilling por Wm. Bemrose. Um kit chamado 'Mosaicon' foi produzido, juntamente com um manual. Outra referência foi descoberta em um livro intitulado "Floral Mosaicon". No artigo são mencionadas peças de quilling adquiridas pelas Rainhas Mary e Alexandra..

Muitos museus na Inglaterra e Estados Unidos mantem expostos trabalhos de quilling feitos nos séculos passados. Na França a Associação " Trésors de Ferveur " mantem expostos trabalhos de quilling feitos nos séculos passados e tem anualmente uma exposição itinerante de várias peças.

Uma das mais recentes observações por uma quiller, quando visitando a Capela Sistina, no Vaticano, são alguns painéis da Capela totalmente feitos com quilling. Indagando o responsável, foi informada que eram realmente trabalhos em quilling e que normalmente as pessoas passavam por alí e não observavam a sua beleza.
Artistas da filigrana em papel expõem e tem seus trabalhos em galerias de arte nos Estados Unidos, Inglaterra, Coreia e Russia.
Por: www.regina.ribeiro.com.br

1 comentários:

Eva Gallant disse...

What a beautiful blog. Unfotunately I am unable to read the text, but the design, the butterflies, and the cards are all pretty!

Postar um comentário

Clique e assine

 
©2008 Templates e Acessorios Por Elke di Barros